Menu

Boletim FORCINE # Maio 2017

​Definido o tema do XIII Congresso FORCINE

Após avaliar as propostas recebidas das escolas para temas, mesas e GTs do XIII Congresso FORCINE a diretoria definiu "FRONTEIRA: Limites e permeabilidades" como eixo temático do evento. A escolha dialoga com o fato de a Unila encontrar-se em um território fronteiriço, entre o Brasil, a Argentina e o Paraguai, onde é possível viver e conviver com as particularidades de uma cultura de fronteira em que os limites impostos pelos estados-nação se veem demarcados. Por outro lado, na fronteira é possível viver as permeabilidades que perpassam estes marcos territoriais, por meio do encontro efetivo de nacionalidades, do plurilinguismo e da integração cotidiana. Ao mesmo tempo em que entendemos as fronteiras pelo seu aspecto territorial, o que nos permite constituir novos laços com os países vizinhos, também expandimos o conceito de fronteiras - seus limites e suas permeabilidades, para o campo do ensino do Cinema e Audiovisual no Brasil e na América Latina, buscando entender quais são as barreiras / fronteiras impostas pelas novas tecnologias, novas narrativas e a relação do ensino com o mercado e como estes limites e as permeabilidades configuram a atuação das escolas de cinema e audiovisual.

Incorporando as contribuições anteriores, as mesas e GTs já estão em fase de conformação, com os seguintes temas provisórios: Pesquisa, Ensino e Mercado; Convergência e múltiplas plataformas na grade curricular; Estratégias de capacitação para atuação de egressos no(s) mercado(s) de cinema e audiovisual; Políticas públicas e suas implicações no cinema e no audiovisual na América Latina; Novas tecnologias e modos de difusão do cinema e do audiovisual; A Gestão tecnológica nas escolas. Ainda há tempo para contribuir! Envie para o e-mailcontato.forcine@gmail.com propostas de participação nas mesas e GTs, trazendo relatos e experiências de ensino da sua escola.

Maria Dora Mourão apresenta o CILECT e o livro “The 21 st Century Film, TV & Media School: challenges, clashes, changes”

A atual presidente do CILECT - Centre International de Liaison des Ecoles de Cinéma et Télévision (The International Association of Film and Television Schools) convida as escolas associadas ao FORCINE a conhecer a associação. Reproduzimos abaixo alguns trechos do texto de sua autoria, que pode ser lido na íntegra através deste link.

“Neste ano de 2017 o CILECT conta com 175 instituições de ensino de cinema e televisão de 62 países de todos os continentes. [...] Nos últimos 15 anos a entidade tem crescido exponencialmente dado o aumento de interesse da sociedade contemporânea pelo audiovisual em todas as suas facetas.

CILECT tem como principal objetivo facilitar o diálogo entre as instituições de ensino promovendo eventos (congressos, seminários, simpósios, workshops, entre outros) que permitam o encontro de professores, o debate e a troca de ideias sobre o ensino e a pedagogia do audiovisual. 

Todas as atividades são desenvolvidas internacionalmente ou regionalmente (mas abertas à participação de professores das escolas filiadas de todas as regiões ).

O site da entidade está passando por uma grande reformulação com o objetivo de, além de ser informativo, ser também um instrumento didático-pedagógico de auxílio ao professor, oferecendo ferramentas de apoio às atividades didáticas. Convido os colegas a visitarem o site www.cilect.org

Outra ação fundamental é o início da edição de livros sobre o ensino de audiovisual: a Série CILECT. O título do primeiro volume recém lançado é “The 21st Century Film, TV & Media School: challenges, clashes, changes” e é organizado por Maria Dora Mourão (Brasil), Stanislav Semerdjiev (Bulgária), Cecilia Mello (Brasil) e Alan Taylor (UK). São 18 artigos escritos por professores de várias áreas do audiovisual e de vários países focando questões essenciais para refletir sobre o ensino.

 

Para ser membro de CILECT a instituição de ensino pode estar tanto vinculada a uma Universidade, quanto ser de alta capacitação profissional (nível superior). Tem que oferecer um curso regular e ser reconhecida oficialmente em seu país de origem. Espera-se, ainda, que seus egressos estejam integrados no mundo profissional do audiovisual.”

​SOCICOM e FORCINE firmam parceria

A Socicom, Federação Brasileira das Associações Científicas e Acadêmicas de Comunicação, a qual o FORCINE é filiado, convida as escolas associadas ao Fórum a enviar textos de questões ligadas ao audiovisual, para serem publicados no “Socicom Debate” e na “Socicom Entrevista”.

A Socicom tem como meta desenvolver ações destinadas à consolidação da Comunicação como Grande Área de Conhecimento, atuando junto às instituições responsáveis pelas políticas públicas de ciência e tecnologia, bem como aos órgãos reguladores e avaliadores do ensino superior em nível de graduação e pós-graduação. 

Acesse o site http://www.socicom.org.br/ e colabore!

Envio de textos para os Cadernos Forcine Digital até 31 de maio

​Estamos com chamada aberta para a submissão de artigos ou ensaios para a próxima edição do Cadernos Forcine, a partir do próximo número, em formato digital. A publicação trará textos de professores, pesquisadores, estudantes e profissionais da área de Cinema e Audiovisual e será organizada em torno do eixo temático do XXII Congresso do Forcine: "A formação que queremos: novas demandas e oportunidades do cinema e audiovisual". Propostas devem ser enviadas através do e-mail cadernosforcine@gmail.com . As diretrizes para autores encontram-se disponíveis em: http://forcine.org.br/site/cadernos/

Indicações de livros para ensino de cinema de crianças e adolescentes

A Cinemateca Catarinense solicitou auxílio ao Forcine para indicação de livros de cinema e audiovisual que possam ser utilizados no ensino de crianças e adolescentes na formação básica, compreendendo séries finais do ensino fundamental e ensino médio. Os livros serão utilizados em bibliotecas públicas do Estado de Santa Catarina e Institutos Federais de Educação, mas também forma-se uma pequena base de dados colaborativa para todos os interessados. As escolas de cinema e professores que quiserem colaborar podem preencher uma planilha online que está disponível neste link: https://goo.gl/YKP7wL.

Os interessados podem acrescer as informações no documento até 26/5 para que o Fórum possa enviar à Cinemateca. Basta acrescer os títulos nas linhas em branco da tabela e verificar para o caso de indicações duplicadas ou já realizadas. A tabela está aberta para edição a todos que possuírem o link, de modo que pode ser enviada a outros interessados que possam contribuir. Como é uma edição aberta e o salvamento é automático, recomenda-se cuidado com as informações que já foram inseridas. 

UFJF é a mais nova associada do Forcine

Temos a alegria de anunciar o ingresso do Bacharelado em Cinema e Audiovisual da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) como a mais nova escola integrante do quadro de associadas do Forcine. Com a UFJF, somos 23 instituições de ensino em Cinema e Audiovisual associadas.

Os professores Carlos Reyna e Luis Rocha Melo são os representantes da instituição e já foram devidamente incluídos em nossa e-lista. Todos são muito bem-vindos para fazer uso da lista para divulgação das atividades de suas escolas e integração com outras associadas.

Recebam os cumprimentos da diretoria e das demais escolas associadas ao Fórum.

​TATURANA MOBILIZAÇÃO SOCIAL - circuitos alternativos de cinema

Taturana mobilização social é uma iniciativa que constrói circuitos alternativos de exibição de filmes com mobilização e fomento ao diálogo sobre temas sociais relevantes a partir do cinema. O circuito alternativo é basicamente formado por escolas, universidades, centros culturais, cineclubes e outros equipamentos afins.

Há dois anos, a proposta trabalha com formas criativas de distribuição e mobilização de público para driblar gargalos do mercado quando se trata de filmes independentes, principalmente documentários com temas sociais relevantes, e que possuem públicos potenciais, mas dependem de um trabalho fino de mobilização e identificação de nichos.

O projeto conta com mais de 4 mil parceiros exibidores em todo o país, e funciona por meio de uma plataforma de agendamento de sessões coletivas, que pode ser acessado neste link: www. taturanamobi.com.br.

Nesta plataforma, também é possível acompanhar os números do circuito de cada filme, bem como o perfil das instituições que o acolheram. É uma plataforma auxiliar para os cursos de cinema, tanto para acesso a obras nacionais, quanto para possível parceria para circulação de filmes.

Pesquisa resulta em artigo sobre "Festivais de Cinema e a Internet"

Os festivais de cinema são um grande evento do circuito exibidor brasileiro, configurando-se como uma janela alternativa de exibição. A tecnologia da informação, possibilitada pela internet, virtualizou a comunidade dos festivais no seu processo de submissão de filmes, tornando o processo para o realizador muito mais prático, ao mesmo tempo em que o Festival passa a dialogar com essas novas sistemáticas comunicacionais.

Esse é a temática do artigo “Festivais de Cinema e a Internet: uma breve análise por meio dos formatos de submissão de filmes”, que analisa os formatos de submissão de filmes dos festivais de cinema realizados em solo brasileiro durante o ano de 2016.

O autor da pesquisa é Paulo Vitor Luz Corrêa, bacharel em Comunicação Social - Cinema e Audiovisual, pelo Centro Universitário Monte Serrat - UNIMONTE (2015). Tem experiência na área de Comunicação, com ênfase em Cinema e Festivais. Trabalha na mesma Instituição de ensino, como técnico de laboratório audiovisual, auxiliando os alunos de comunicação com os equipamentos.

A pesquisa pode ser acessada clicando aqui

Cinema UFPEL disponibiliza novos filmes no acervo de curtas-metragens

Neste início de semestre, os cursos de Cinema e Audiovisual e Cinema de Animação da UFPEL disponibilizam para a comunidade novos filmes em sua plataforma online. São mais de 30 curtas-metragens entre ficções, documentários, animações e filmes experimentais que podem ser vistos na íntegra e em alta-definição através da plataforma de video on demand (VOD) específica para este fim.

A maior parte dos novos títulos foi produzida ao longo de 2015 e, observado um período de ineditismo, os filmes ficam à disposição da comunidade para livre exibição e utilização nos demais cursos da UFPEL e em outras iniciativas que tenham caráter educativo ou cultural. Os filmes são realizados dentro do trabalho desenvolvido em conjunto com várias disciplinas, compreendidas durante um semestre ou um ano, em alguns casos. Diversos dos novos curtas-metragens representaram a UFPEL em 2016 em festivais e mostras de cinema nacionais e internacionais.

Os novos filmes ficam disponíveis na abertura do período de comemoração dos 10 anos da formação em cinema ofertada pela Instituição. A existência dos cursos representa, até este momento, a única oferta de educação superior pública em cinema no Rio Grande do Sul. O curso de bacharelado em cinema de animação, neste cenário, é um dos poucos no Brasil que oferece formação superior neste campo de atuação. Durante 2017, estão sendo programadas atividades comemorativas que serão divulgadas para a UFPEL e para a comunidade em geral.

Com os novos filmes, a plataforma disponibiliza mais de 120 curtas-metragens que contam boa parte da história da formação, desde o primeiro filme, o documentário Olhares, produzido coletivamente com a primeira turma em 2007, até os filmes mais recentes. O acesso pode ser feito através do endereço curtas.ufpel.edu.br.

Colabore com o Boletim FORCINE

Compartilhe notícias, relatos e experiências de suas escolas no Boletim FORCINE. Colaborações com a edição de abril são bem-vindas até o dia 25/05/2017, através do e-mail contato.forcine@gmail.com (favor informar no título da mensagem “Boletim FORCINE”).O texto deve conter até 250 palavras, pode conter links para páginas de internet e uma imagem. 

 


Download: Sobre_CILECT.docx


Tags

Boletim FORCINE
All rights reserved CILECT ® 2017. Read all the Terms of Use of the CILECT website. Programming by ivailoiliev.com